Diretor de fotografia de O Poderoso Chefão e Manhattan morre aos 82 anos

Gordon Willis
  • Save

Um dos diretores de fotografia mais importantes da história do cinema,  Gordon Willis faleceu aos 82 anos neste domingo, 18 de maio. Adepto de tomadas com pouca luz, ele ficou conhecido em Hollywood como o príncipe da escuridão, sendo responsável por trabalhos inesquecíveis em O Poderoso Chefão,  Manhattan e Todos os Homens do Presidente.

Willis sempre gostou de trabalhar com os mesmos diretores. Com Francis Ford Coppola, fez ainda O Poderoso Chefão 2 e O Poderoso Chefão 3. Com Woody Allen, também realizou Noivo Neurótico, Noiva Nervosa,  Interiores,  Memórias,  Sonhos Eróticos Numa Noite de Verão,  Zelig,  Broadway Danny Rose e A Rosa Púrpura do Cairo. Seu último trabalho foi em Inimigo Íntimo, de Alan J. Pakula. Ele já havia trabalhado com o cineasta em Todos os Homens do Presidentes,  Klute – O Passado Condena,  A Trama e Acima de Qualquer Suspeita. Em seus quase trinta anos de carreira, Gordon Willis recebeu apenas duas indicações ao Oscar, pelas fotografias de O Poderoso Chefão 3 Zelig. Acabou reconhecido pela Academia apenas em 2010, através de um Oscar Honorário pelo conjunto de sua obra.

Gordon Willis  ( nascido em 28 de maio de 1931, no Queens,  Nova York,  Estados Unidos ) é um cineasta extremamente respeitado em Hollywood, mais conhecido por seu trabalho na trilogia O Poderoso Chefão, e também, pelos filmes de Woody Allen,  Annie Hall eManhattan.

Você ja viu? :  Trailer do novo filme da franquia Pokémon

Willis é famoso por sua propensão de fotografar em condições extremamente escuras, por isso, recebeu o apelido de “O Príncipe da Escuridão”, atribuído a ele por seu amigo, Conrad Hall.

Outra marca registrada de Gordon Willis é a preferência por filmar no horário mágico, pouco antes do crepúsculo do sol, quando o sol está fraco e cria um fulgor dourado. Willis criou o filtro de cor âmbar, para criar a sensação de imagem envelhecida, para a sequência do jovem Vito, em O Poderoso Chefão: Parte II – vários filmes posteriores, copiaram esta técnica cinematográfica, para demonstrar a época pré Segunda Guerra Mundial.

Willis foi evitado pela academia por diversos anos, deixando de ganhar várias indicações ao Óscar que tinham por este, outras interpretações.

Ele recebeu duas indicações, uma por sua inventiva recriação fotográfica dos anos 20 em Zelig de Woody Allen ( 1983 ) e um deles, por sua participação em O Poderoso Chefão: Parte III  ( 1990 ).

fonte: adorocinema. com. br, wikipedia

Deixe seu comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Todos os direitos reservados - Poltrona de Cinema 2021
English EN Portuguese PT Spanish ES
Share via
Copy link