Melhores Documentários

O documentário é um gênero cinematográfico que tem compromisso com a realidade, mas nem por isso precisa ser chato, pois muitas vezes a realidade é bem mais interessante que a ficção.
Cada vez mais, os documentários são valorizados, inclusive com um ótimo festival realizado no Brasil, o “É Tudo Verdade”.
Esta lista traz 10 filmes deste gênero, que eu considero imperdíveis


1.  O Homem Urso (munido de mais de cem horas de gravações, o cineasta Werner Herzog – Fitzcarraldo, Nosferatu – monta o quebra-cabeças da história de um ator frustrado, Timothy Treadwell, que resolveu, sem nenhum embasamento científico, documentar a vida dos ursos pardos, no Alasca. durante anos, passando os verões com os ursos, Treadwell vai pouco a pouco perdendo a razão e termina por perder a vida – não é spoiler, fiquem tranquilos. um filme excepcional, imperdível)


2.  The Cove, a Baía da Vergonha (último ganhador do Oscar de documentário, é um dos filmes mais chocantes que já vi. impossível não ficar horrorizado com a estupidez humana – e da mídia e governo do Japão – na matança sistemática de 23.000 golfinhos todos os anos, numa pequena vila de pescadores. provocou protesto dos japoneses, não contra os crimes que eles cometem, mas contra o filme que os denuncia. vergonha!)


3.  O Equilibrista (que Freddy Krueger, que nada. quem quer ficar petrificado, quase sem respirar durante boa parte de um filme, escolha este. conta a história de um equilibrista francês, Philippe Petit, que em 1973, invadiu com seu grupo o teto das Torres Gêmeas em Nova York, colocou um cabo de aço entre as torres norte e sul e as atravessou. mesmo apenas com umas poucas fotografias e nenhum filme, a travessia emociona. ainda mais por documentar um tempo que não existe mais, num cenário tão simbólico. genial. ganhador do Oscar de documentário no ano passado)


4.  A Marcha dos Pinguins (o documentário mostra o ciclo de reprodução anual dos pinguins imperadores na Antártida… a diferença de outros filmes sobre animais está na sensibilidade da narração, dando voz aos pinguins, na fotografia deslumbrante e na linda trilha sonora. mais um imperdível e outro ganhador do Oscar)


5.  Koyaanisqatsi (uma colagem de cenas cotidianas em rítmo ora acelerado, ora reduzido, procurando mostrar o desequilíbrio da vida humana com a natureza e com o ambiente urbano. a força do filme está na edição vigorosa e na trilha minimalista de Philip Glass. é de tirar o fôlego. ganhador do Urso de Ouro em Berlim 1982)


6.  Religulous (narrado pelo apresentador de tv e comediante Bill Maher, procura dar um panorama das mais diversas religiões e suas infinitas contradições. dos budistas aos mulçumanos, dos judeus aos fundamentalistas cristãos, o filme cutuca todos os religiosos com vara curta. oportuno, corajoso, sério e muito divertido)


7.  Ser e Ter (o filme acompanha um grupo de alunos de uma pequena escola rural da França, dos 4 aos 11 anos – do jardim da infância ao último ano da educação infantil. mostra o processo de formação do conhecimento e da identidade pessoal deles. falando de sua vila, o cineasta está falando de cada um de nós. obrigatório)


8.  Tiros em Columbine (não poderia faltar nesta lista, o mais provocador e bem sucedido dos documentaristas, Michael Moore. considero este o melhor dos seus filmes e o primeiro a chegar ao mundo todo. o massacre perpetrado por um estudante numa escola do interior do coloradoe é o ponto de partida para uma investigação da obsessão americana pelas armas de fogo e da facilidade em adquiri-las. bem humorado, relevante, genial e Oscar de documentário)


9.  Sob a Névoa da Guerra: 11 Lições da Vida de Robert S. McNamara (mostra as questões que envolveram os Estados Unidos – e o mundo -, como a invasão da baía dos porcos e a guerra do Vietnan, sob o ponto de vista de um dos seus protagonistas, o então secretário de defesa, Robert S. McNamara. a história vista por dentro numa entrevista vital. Oscar de documentário)


10.  Iraq in Fragments (o documentário é dividido em três atos, mostrando fragmentos do cotidiano de três personagens no Iraque ocupado pós guerra. em Bagdá, um garoto trabalha como aprendiz numa oficina e tem que escolher entre a escola e o trabalho. no sul do país, um estudante religioso participa de reuniões anti-ocupação, que pretendem tornar o país num estado religioso. e no norte, garotos curdos, aproveitam a paz da ocupação para estudar e fugir da pobreza. oportuno, mostra as faces de um país fragmentado)

fonte:listasde10.blogspot.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *