H.R. Giger, artista plástico, pai de “Alien”, morre aos 74 anos

giger
  • Save

A lenda do design H.R. Giger, cujo portfólio inclui uma série de impressionantes capas de álbuns e a imagem assustadora do alienígena nasaga “Alien”, morreu na segunda-feira (12), aos 74 anos.

O artista suíço caiu de uma escada no começo da semana. Os ferimentos do incidente teriam sido a causa da morte. A informação foi confirmada pelo canal de TV suíço SRF e replicada pelo website “Fact”.

O artista plástico se lançou em várias áreas no decorrer a carreira, incluindo pintura, cenografia, ilustração e escultura. Giger constituiu a imagem do alienígena com dentes afiados e pele viscosa que se tornou inconfundível desde o 1º filme da série, “Alien”, de Ridley Scott, lançado em 1979. O artista ganhou de Efeitos Especiais pelo trabalho. Giger também foi responsável pelo design do filme “A Experiência” (1995).

Com inspiração no surrealismo e no sci-fi, suas obras são ricas em detalhes e carregam forte influência da arquitetura e design industriais. Construiu, através de sua obra, híbridos fantasmagóricos entre o orgânico e o mecânico.

Hans Rudolf Giger ( 5 de fevereiro de 1940 — Zurique, 12 de maio de 2014 ) foi um artista plástico suíço com obras no campo da pintura, escultura, design de comunicação e de interiores e cinema. Ligado a corrente do surrealismo e da arte fantástica, H.R. Giger (como é conhecido no mundo da Arte) cedo se destacou pela sua técnica extrema na utilização do aerógrafoem detrimento do pincel, e, pela sua temática trabalhada nos limites de horror e do erotismo.

Você ja viu? :  Filmes Sobre Viagens no Tempo

Com a utilização da aerografia – técnica muito utilizada pelos pintores hiper-realistas norte-americanos -, conduziu a arte do fantástico para um patamar técnico superior, criando cenários e ambientes “ultra-realistas” incomuns, quase palpáveis. Destas obras destacam-se “masterpieces” como “Birthmachine” de 1967 e “The Spell I” de 1973, entre outras.

Sempre inovador, viria posteriormente a desenvolver várias obras em 3D e mesmo novos processos plásticos, como a utilização de fotocopiadoras xerox como método de obter novos grafismos.

Giger foi autor de um dos mais conhecidos cenários e “monstros” da história do cinema, o Alien, cujo 1º filme, da saga – no qual trabalhou -, lhe proporcionou um  para Efeitos Especiais. É dos autores mais copiados e plagiados da Arte Contemporânea.

fonte:.uol.com.br , wikipedia

Deixe seu comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Todos os direitos reservados - Poltrona de Cinema 2021
English EN Portuguese PT Spanish ES
Share via
Copy link