Filmes nacionais de terror e suspense renascem com atores famosos

Um filme nacional com José Wilker, Bruno Gagliasso, Regiane Alves e inspirado em “O Iluminado” de Stanley Kubrick pode parecer uma combinação inusitada à primeira vista, mas é a proposta de “Isolados”, longa de terror que chega aos cinemas em setembro. Este é apenas o mais recente de uma onda de filmes brasileiros de suspense e terror com atores famosos que têm chegado às telonas.

“O cinema nacional descobriu os filmes de gênero”, disse ao UOL o produtor Pablo Torrecillas, da TC Filmes, que lançou em junho o thriller “O Lobo Atrás da Porta”, com Leandra Leal e Milhem Cortaz. “Sentimos que a comédia está ficando saturada. Sai muita coisa e o mercado nem sempre está aceitando”.

A TC Filmes pretende lançar mais filmes de terror e investe no gênero de ação, como o longa “Boletim de Ocorrência”, dirigido por Tomás Portella e com Cléo Pires e Lázaro Ramos. “Gosto pra caramba de fazer filme de autor, mas queremos também fazer filmes para o mercado”, disse o produtor. “A resposta tem sido muito boa, com uma expectativa muito grande entre distribuidores e parceiros de mercado”.

Apesar dessa possível saturação da comédia, é inegável que o gênero ainda domina as bilheterias de filmes brasileiros. Segundo dados da Ancine (Agência Nacional do Cinema), de janeiro até o final de junho deste ano cinco das dez maiores bilheterias nacionais de 2014 são comédias: “S. O. S. Mulheres ao Mar”; “Muita Calma Nessa Hora 2”, “Os Homens são de Marte… E é Para Lá que Eu Vou”; “Copa de Elite” e “Julio Sumiu”.

Enquanto “S. O. S. Mulheres ao Mar” foi visto por 1,7 milhão de pessoas e arrecadou mais de R$ 20 milhões, o thriller mais bem colocado foi “Entre Nós”, com Caio Blatt, Carolina Dieckmann e Paulo Vilhena, que teve público de 70 mil e R$ 900 mil de bilheteria. “Admitimos que esperávamos mais público, mas achamos que existe um movimento natural além da comédia para outros gêneros”, disse o diretor Paulo Morelli da O2, de “Entre Nós”. “Mas o resultado foi muito bom relação a festivais e crítica, tanto no Brasil como no exterior”.

Para o diretor, essa nova onda de terror e suspense é o início de uma tendência para filmes nacionais de outros gêneros no cinema. “A gente acredita que o cinema brasileiro não pode ficar restrito à comédia. Existe um movimento natural de ir além da comédia e devem surgir os outros gêneros, como o ‘Entre Nós’, que mistura ação comédia e drama. Adoro comédias e fico muito feliz com o sucesso delas, mas acho que é um caminho natural que o público vai ter cada vez mais vontade de ter outro gênero”.

Entre os outros filmes de destaque nessa tendência estão “Confia em Mim” (Mateus Solano e Fernanda Machado), “Quando Eu Era Vivo” (Antônio Fagundes e Sandy Leah) e “Gata Velha Ainda Mia” (Regina Duarte, Bárbara Paz).

fonte:cinema.uol.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *